Shopping 33 Torre 4, Salas 1201

(24) 99246-4951

Contato

+55 (24) 99246-4951

Pré-Agendamento

Faça seu pré-agendamento

Pré-Agendamento

Faça seu pré-agendamento

Vídeo-Histeroscopia, um avanço para a mulher

A Maternidade VITA Volta Redonda oferece às suas pacientes a vídeo-histeroscopia, um diagnóstico rápido e preciso para tratamento de pólipos e miomas.

A vídeo-histeroscopia é um procedimento para diagnosticar e tratar doenças dentro da cavidade uterina, que ultrapassa amplamente em segurança e precisão outros métodos de diagnóstico. As principais aplicações da vídeo-histeroscopia são no tratamento de pólipos e miomas; mas é também utilizado na fertilização artificial, para determinar o local do útero em que será implantado o embrião, e em outras aplicações.

Segundo o ginecologista Felipe Canavez, da Maternidade VITA Volta Redonda, a vídeo-histeroscopia é uma grande evolução em relação a métodos antigos de diagnóstico de câncer de corpo do útero, como a curetagem, que era uma raspagem de material do interior do útero feita às cegas. “O endométrio, que é o tecido do interior do útero, não é homogêneo, e o médico poderia retirar material de uma área saudável, e assim ter um falso diagnóstico negativo”, diz Canavez. “A grande vantagem na vídeo-histeroscopia é que como o médico vê o interior do útero através da câmera, ele pode colher material para fazer biópsia e obter rapidamente um diagnóstico preciso”.

O videohisteroscópio consiste de um tubo que conduz uma fibra óptica para iluminação, outra para a câmera, um canal para soro fisiológico e o controle de um instrumento, como uma pinça, para colher material ou fazer algum tipo de procedimento. Para diagnósticos, a vídeo-histeroscopia leva de cinco a dez minutos. No caso
de tratamento de pólipos ou miomas, o procedimento é mais demorado. Tanto para exames como para tratamento, a vídeo-histeroscopia é feita através da vagina da paciente, sem necessidade de qualquer tipo de incisão, e a paciente tem alta no mesmo dia.

Pólipos e miomas

Problema comum, principalmente em mulheres que chegaram à menopausa, os pólipos são estruturas que crescem para dentro do útero e podem evoluir para tumores de endométrio, por isso precisam ser retirados. Já o mioma é como um espessamento ou nódulo na parede do útero e raramente evolui para um tumor. Se-gundo Canavez, algumas mulheres convivem sem problemas com miomas; mas eles podem também causar problemas como aumento do sangramento vaginal ou cólicas intensas, e nesses casos precisam ser retirados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×

Envie sua mensagem no Whatsapp

× Envie sua mensagem no Whatsapp